Psicanálise atacada por filósofo francês

13/12/2010 22:51

 

Admiro a coragem que determinadas pessoas tem em tentar destruir uma imagem consolidada e séria, como a teoria psicanalítica iniciada por Freud e desenvolvida por muitos outros psicanalistas de projeção mundial. 
 
Admiro mais ainda a tremenda "cara de pau" dessa pessoa quando, após "chocar" e confundir meia dúzia de incautos, mostrar ao que veio, tentando impingir uma nova teoria, baseada na que tenta destruir, mas sem qualquer fundamentação, e ainda chamando-a de "Psicanálise não Freudiana".
 
É assim que surge Michel Onfray, filósofo francês, autor de "A Morte de Deus" e, agora, autor de "Crepúsculo de um Ídolo", atribuindo a cura psicanalítica a um simples efeito placebo e rotulando Freud de charlatão.
 
Suas declarações começam a fazer sentido no momento em que descobrimos o que ele pretende: Nada mais do que lançar suas ideias sobre uma nova terapia, chamada por ele de Psicanálise não-freudiana, essa sim, segundo ele, a que realmente cura (tema de seu próximo livro)!
 
Na sua entrevista, publicada na Superinteressante 285 / Dez-2010, ele aponta os erros de Freud:
 
1) Michel Onfray diz que Freud omitiu seus erros médicos, considerando como erro ter receitado cocaína a Fleischl von Marxow, que morreu.
 
Meus comentário: 
 
- Em diversas obras sérias em alemão e em francês há relatos sérios sobre tal assunto, evitando o "reducionismo perverso" cometido por Onfray nessa sua tentativa destruir a imagem desse gênio que foi Freud. Há também uma tradução muito boa em português: "Freud: o lado oculto do visionário", de Louis Breger, editado no Brasil pela Editora Manole Ltda, de São Paulo em 2002.
 
- Na página 97 desse livro consta todo o processo que levou Freud a receitar cocaína a Fleischl. Todos os médicos, na época, utilizavam a cocaína sem ter ainda noção dos seus efeitos colaterais. Só com a constatação de resultados negativos foi que a cocaína passou a ser banida dos tratamentos e do consumo livre. 
 
- Lembrem-se, para não serem ludibriados por mais espertalhões como Onfray, que na medicina a coisa funciona exatamente assim. Antigamente usava-se a radiografia (raio-X) livremente e sem qualquer proteção. Os cuidados que são tomados hoje são resultado do imenso número de mortes por radiação, principalmente entre enfermeiros e médicos que trabalhavam com esse equipamento. Da mesma forma a peniscilina. Lembro que, em mina infância, qualquer enfermidade que eu tinha era receitado peniscilina. Hoje sabe-se que o consumo exagerado desse antibiótico pode causar problemas sérios. 
 
- Então falar mal de Freud por ter receitado cocaína naquela época é querer ignorar a noção de tempo, época e cultura. Teríamos que falar mal também de todos os grandes da época, entre eles Fliess, Breuer, Karl Koller e muitos outros.  
 
2) Michel Onfray diz que Freud não curou Sergei Pankejeff (o homem dos lobos).
 
Meu comentário:
 
- Sempre existe uma cura de alguma neurose quando se aplica a terapia psicanalítica de forma correta. E o próprio Onfray vai dizer isso, mais tarde, quando começar a divulgar a sua "nova forma" de fazer a mesma psicanálise! E no caso de Sergei, se existia uma neurose ela foi curada. 
 
- O problema insolúvel que ele manteve durante toda a sua vida era relacionado a uma atrofia cerebral que jamais poderia ter sido descoberta naquela época, já que não havia equipamento adequado para isso ainda. Só nesse nosso século XXI conseguiu-se detetar a principal consequencia do abuso sexual na infância e que fez com que muitos pacientes passassem por terapias maravilhosas, mas que nada resolveram. Freud nunca poderia ter descoberto isso sem os equipamentos de visualização dos neurônios que temos hoje. 
 
- O problema de Sergei Pankejeff, o abuso sexual que sofreu na infância por parte de pessoa da família, provocou (só hoje sabemos) uma atrofia neural no hemisfério esquerdo cerebral, reduzindo a sua capacidade de raciocínio lógico. Grande parte dos adolescentes que, na infância, sofreram abusos sexuais, acabam cometendo suicídio, exatamente por não terem o raciocínio lógico desenvolvido o suficiente para evitar atitudes exclusivamente de cunho emotivo.
 
- Para essa anomalia provocada não se aplica a psicanálise, mas isso não se sabia antes e até hoje ainda não é de conhecimento geral. A única forma de se reduzir as terríveis consequencias da redução do raciocínio lógico e assim evitar o suicídio de tantos jovens, é fazer a terapia lógica, que nada mais é do que estimular jogos de xadrez, exercícios de lógica matemática e muitos exercícios de matemática! 
 

 

Concluindo, acredito que a palavra charlatanismo empregada por Onfray para definir Freud, deveria estar sendo mais bem empregada para definir a si mesmo.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!